Campeãs mundiais do Unipê treinam para os Jogos Sul-Americanos - UNIPÊ
14/01/2019 12:07 pm

Campeãs mundiais do Unipê treinam para os Jogos Sul-Americanos

As atletas do Unipê Cinthya Piquet e Ingrid Frazão foram convocadas pela Seleção Feminina Brasileira de Handebol de Areia para participar dos treinos para os Jogos Sul-Americanos. As campeãs mundiais da modalidade vão, durante os treinos, aperfeiçoar o que elas já têm: o talento. Cinthya e Ingrid tentarão disputar uma das 10 vagas da seleção com outras 15 atletas. Os Jogos Sul-Americanos vão ocorrer em Rosario, na Argentina, de 16 a 20 de março.

Convocação para a Seleção Brasileira

As alunas-atletas foram convocadas pelo próprio técnico da seleção, Márcio Magliano. Entusiasmadas com o convite, agora se preparam nas areias da praia de Cabo Branco, na capital paraibana. “Estamos em treinamento constante, seguindo uma periodização montada pelo professor Vinícius Oliveira, e entre os dias 5 e 15 de março começaremos o treinamento propriamente dito com todas as atletas juntas”, contou Ingrid Frazão. “Treino bastante intenso e pesado”, arrematou Cinthya.

Em março também será verão em Rosario. Com o clima se equivalendo ao de João Pessoa, elas acreditam que isso pode facilitar no desempenho do time durante o campeonato. “Porém, já aconteceu de a temperatura cair em algumas competições, e temos que estar preparadas pra isso”, disse Ingrid.

Além da participação do Brasil nos Jogos Sul-Americanos, devem competir as seleções da Argentina, Equador, Venezuela, Peru, Colômbia, Uruguai, Paraguai e Chile. Outras seleções ainda podem confirmar presença nos Jogos.

Sobre as campeãs mundiais

Ingrid e Cinthya têm passagens em competições realizadas em todo o planeta. A primeira competição de Ingrid aconteceu num Pan-Americano em 2014, no Paraguai. Depois, ela teve a oportunidade de jogar o mundial do Brasil em 2014, o mundial da Hungria, em 2016, o The World Games de 2017, na Polônia, nos Jogos Pan-Americanos de 2018, nos Estados Unidos, e o mundial da Rússia, em 2018.

O mundial de 2014 no Brasil, realizado no Recife (PE), foi um divisor de águas para Ingrid. “Uma das vitórias mais marcantes foi a final do mundial de 2014 contra a equipe da Hungria, uma seleção que temos uma grande rivalidade e que conseguimos vencê-la nessa final emocionante dentro de casa e sendo empurradas pela torcida brasileira”, contou a atleta.

Houve também a semifinal na Polônia. Na época, a seleção brasileira teve uma revanche contra a equipe espanhola, pois havia perdido para ela na final do mundial de 2016, na Hungria. “Então foi um jogo muito emocionante, com bastante nervosismo, que conquistamos a vitória e fizemos a final contra a forte equipe da Argentina, onde vencemos e fomos campeãs”, disse Ingrid.

Na seleção desde 2005, Cinthya poderá participar da seleção nestes Jogos e a emoção de representar o país será só uma: inenarrável, segundo ela. Ela foi vitoriosa no World Games de 2005, realizado em Duisburg, na Alemanha. “E em 2006 tivemos nossa primeira vitória dentro do Brasil, no Campeonato Mundial realizado no Rio de Janeiro”, falou. Em 2012, foi bicampeã mundial em Omã. “E outra de grande importância, novamente no Brasil, foi o mundial em Recife, onde me consagrei tricampeã mundial”, colocou.

Para a Paraíba

Também técnico das atletas na Paraíba, o professor João Marcônio, do curso de Educação Física do Unipê, acredita que a Paraíba é referência na modalidade. “Nossos alunos têm contribuído para o esporte brasileiro graças ao papel importante que o Centro Universitário de João Pessoa desempenha como um grande incentivador e que se mantém investindo no esporte universitário”, afirmou.

Outros nomes de peso da modalidade e que treinam pelo Unipê são: Bruno Carlos Oliveira (pentacampeão mundial); Juliana Oliveira (campeã mundial de 2018); e Gil Pires (tetracampeão mundial).

Fonte: Assessoria de Comunicação - ASCOM