Alunos do Unipê participam de Congresso em Tomar, Portugal - UNIPÊ
19/02/2019 15:09 pm

Alunos do Unipê participam de Congresso em Tomar, Portugal

Estudantes intercambistas do Unipê participaram e apresentaram trabalhos no VI Congresso Luso-Brasileiro de Direitos Humanos na Sociedade da Informação. O evento foi realizado na cidade de Tomar, em Portugal, e foi promovido pela Unesco e pelo Instituto Politécnico de Tomar. Jose Djalisson Oliveira e Isabela Sodré, alunos do Unipê, viajaram para intercâmbio pela Instituição para a Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra neste semestre, 2019.1.

Centro Histórico de JP

Intitulado “O Meio Ambiente Cultural no Centro Histórico de João Pessoa/PB à Luz da Constituição Federal de 1988”, o trabalho do estudante José Djalisson foi um dos apresentados no evento. Segundo o estudante, ele foi inspirado e produzido em cima da análise de ressignificações culturais que o Brasil ultrapassou e ultrapassa.

“O enfoque principal foi a comunidade do Porto do Capim, presente na região central de João Pessoa-PB. Falar do Brasil e da importância da nossa cultura e civilização é um misto de orgulho e preocupação, ainda mais em terras distantes… Esperar que as leis sejam aplicadas não basta, e por isso as lutas não podem retroceder”, explicou, pontuando a relevância da sua participação no evento. “Percebo o quão a experiência foi importante para minha formação, apesar dos rápidos 3 dias de Congresso. Pude crescer e socializar com grandes nomes do Direito Ambiental, Direito ao Patrimônio e os demais ramos estruturantes dos Direitos Humanos”, revelou.

Patrimônio Cultural e Tecnologia

O trabalho apresentado pela aluna Isabela Sodré teve como tema “A Propagação Tecnológica do Patrimônio Cultural na Era da Informação Vinculada à Cidadania”. “Meu trabalho fez uma correlação entre a ausência da cidadania nos locais que não promovem os bens culturais por intermédio dos instrumentos tecnológicos. Sendo assim, evidencia um problema crescente em nosso país, que é a falta de patriotismo causada pela despreocupação com os direitos culturais – além de aprofundar os questionamentos sobre a importância da identidade cultural para o desenvolvimento da sociedade”, explicou.

Para a aluna do Unipê, a experiência se refletiu em diversas oportunidades acadêmicas. “Eu me deparei com inúmeras oportunidades acadêmicas, desde as palestras, que proporcionaram uma nova visão dos temas propostos, até o networking feito com os outros participantes – sendo em sua maioria mestrandos e doutorandos das mais diversas universidades do Brasil e de Portugal. Desse modo, pude somar os novos conhecimentos adquiridos e relacioná-los ao trabalho que apresentei visando à publicação de um artigo”, disse. “Somado a isso, essa experiência gerou um contato direto com a arquitetura magnífica do Castelo Templário e do Convento dos Cavaleiros de Cristo – considerados patrimônios da humanidade pela UNESCO – que foi o local do evento”, completou.

Fonte: Assessoria de Comunicação - ASCOM