Egressas do Unipê são aprovadas para Mestrado em Portugal - UNIPÊ
13/12/2018 12:04 pm

Egressas do Unipê são aprovadas para Mestrado em Portugal

Raíssa Libório e Amanda Mendonça, egressas dos cursos de Direito e Engenharia Civil do Unipê, respectivamente, foram aprovadas em programas de Mestrado de Universidades Portuguesas. Raíssa está cursando mestrado em Direito das Crianças, Família e Sucessões na Universidade do Minho – Braga. Já Amanda está cursando mestrado em Engenharia de Materiais na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. As estudantes relataram um pouco da experiência e da trajetória que as possibilitou essa conquista.

Raíssa Libório

Aprovada em 5º lugar numa seleção que ofertou apenas 30 vagas, Raíssa explicou que, para conseguir a aprovação, passou por uma análise curricular criteriosa, concorrendo 70 com candidatos nacionais e internacionais. A estudante destacou a participação do Unipê em sua conquista. “O Unipê teve papel fundamental para o resultado deste processo seletivo, pois foi através de todas as oportunidades ofertadas durante minha graduação e pós-graduação que consegui construir um currículo sólido para hoje viver o sonho de estudar em umas das faculdades internacionais mais conceituadas do mundo”, declarou.

Raíssa iniciou sua trajetória em busca de um mestrado ainda na graduação, quando aproveitou diversas oportunidades propostas pelo curso. No segundo período idealizou o “Projeto Base”, extensão da qual ela foi coordenadora executiva. A mestranda ainda viveu um intercâmbio na Universidade de Coimbra, parceira do Unipê, entre 2015 e 2016. “Tal vivência foi fundamental para hoje eu estar nos bancos de uma instituição portuguesa novamente, agora cursando o Mestrado”, disse, acrescentando outras experiências que teve no Unipê.

“Para viver o sonho do intercâmbio na graduação, eu e outras duas colegas criamos a campanha ‘Desbravadoras do Saber’, por meio da qual promovemos várias atividades acadêmicas com o apoio dos nossos docentes. Ao regressar do intercâmbio, fui encaminhada pelo professor Arthur Souto para participar do Grupo de Estudos em Arbitragem, Mediação e Comércio Exterior – GEACE, como oradora. Essa, sem dúvidas, foi uma das maiores experiências acadêmicas que vivi. Em 2018 tive a oportunidade de me tornar coach e montar o primeiro time de Mediação do GEACE. Somado a isto, realizei, em paralelo com a graduação, a Especialização em Mediação, Conciliação e Arbitragem, no Unipê”, relatou.

Amanda Mendonça

Também concorrendo com estudantes de todo o mundo, Amanda teve seu currículo acadêmico, histórico e uma carta de motivação analisados e aprovados pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. O mestrado escolhido pela estudante será uma continuidade da área de pesquisa iniciada no Unipê.

“Meu mestrado é em Engenharia de Materiais e pretendo continuar na minha área de pesquisa iniciada no Projeto de Pesquisa do Unipê, que se tratava do estudo de novas tecnologias de Concreto”, explicou.

Segundo Amanda, que está em Portugal há quase três meses, essa foi uma das melhores escolhas que já fez. “Estou muito satisfeita com o ensino da Universidade, além da experiência pessoal de conhecer mais da cultura portuguesa”, finalizou.

Internacionalização

O Prof. Luís Miranda, Coordenador do Escritório de Internacionalização e Redes de Cooperação, enfatizou que “a seleção e aprovação destas duas alunas, após um rigoroso processo seletivo em que competiam com alunos de diversas universidades e nações, consolida as perspectivas educacionais inovadoras que o Unipê oferece aos seus alunos e coloca, em termos profissionais, o Unipê como uma realidade de excelência também a nível internacional, devido à exigência e qualidade de seu ensino, das práticas diferenciadas com metodologias ativas e do foco no desenvolvimento de habilidades e competências alinhadas com a educação 4.0”.

O professor ainda pontuou que “o Escritório de Internacionalização e Redes de Cooperação, alinhado com estes desafios, prosseguirá o caminho de consolidar e abrir novas perspectivas através da ampliação de parcerias e cooperação com outras realidades educativas ao redor do mundo”.

Fonte: Assessoria de Comunicação - ASCOM