Melhor Atriz - UNIPÊ
27/01/2012 14:25 pm

Melhor Atriz

A professora e atriz paraibana Zezita Matos conquistou mais dois prêmios de “Melhor Atriz”, desta vez, pela sua atuação no longa-metragem “Mãe e Filha”, do cineasta cearense Petrus Cariry. O último troféu de Zezita foi conquistado durante um Festival de Cinema no Ceará, na cidade de Maracanaú (2° Fest Cine Maracanaú). O filme “Mãe e Filha”, que tem Zezita Matos no elenco, só estreia no próximo mês, mas também já ganhou vários prêmios.

A professora e atriz Zezita Matos é coordenadora do Núcleo de Apoio Pedagógico do Unipê (Nape). Nos palcos, na tela do cinema ou na sala de aula, a paraibana do município de Pilar sempre esteve no lugar mais alto. Considerada a “dama do teatro paraibano”, ela já conquistou inúmeros prêmios durante mais de 50 anos atuando no teatro e no cinema.

“Maior prêmio é o reconhecimento”

Dona de uma humildade sem tamanho, Zezita Matos ressalta que para garantir o sucesso, é preciso ser forte e desempenhar nossas atividades com paixão, independente da área onde você atua. “O importante é que sejamos determinadas nas nossas escolhas”, ensinou. Quanto indagada sobre o número de troféus que já ganhou na sua carreira, ela sorri e responde, de forma humilde: “Sei lá!”. E complementa que o maior prêmio para ela é o reconhecimento do seu trabalho.

Ela revela que se pudesse voltar no tempo faria tudo igual: “Eu recomeçaria tudo do mesmo jeito”, afirma a professora Zezita, no final do documentário “O Olhar de Zezita”, que emocionou o público e a própria homenageada. “Sempre estudei para lidar com as minhas emoções. Mas não tem jeito. Estou sem palavras, muito emocionada”, afirmou, ao agradecer a homenagem.

Mais de 30 peças e mais de 10 filmes

Zezita já atuou em mais de 30 peças e em mais de 10 filmes, além da participação na novela Vereda Tropical (1984, da Rede Globo). No ano passado, ganhou o Troféu “Calunga”, de Melhor Atriz no Festival de Curta-Metragem de Pernambuco, pela sua atuação no filme “Azul”, do diretor Erick Laurence. Este ano, também já recebeu outras homenagens.

Forte, versátil e determinada, sempre dividiu o seu tempo entre a arte de educar e a arte de representar. Para ela, as duas artes devem andar juntas, pois, não se educa sem a arte. “Teatro e educação foram as minhas escolhas e elas se complementam. Nas duas, consigo verbalizar e trazer meus princípios de vida”, revelou Zezita Matos.

Fonte: Assessoria de Comunicação - ASCOM